UFSC e Sebrae promovem educação empreendedora e lançam concurso universitário

13/05/2015 10:28

A Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq) promoveu na última sexta-feira, 8 de maio, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o primeiro “Empreende UFSC”, cujo objetivo é estimular a educação empreendedora, a cultura de proteção à propriedade intelectual  e a transferência de tecnologia e inovação no ambiente acadêmico da Universidade. A ocasião também propiciou o lançamento do 8º Concurso Estadual de Planos de Negócio para Universitários, que premia os melhores planos apresentados por estudantes de Santa Catarina.

Aproximadamente 150 pessoas assistiram a palestra. Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC

Aproximadamente 150 pessoas assistiram a palestra. Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC

Esta edição do concurso, que faz parte da agenda de atividades do “Empreende UFSC”, premia os melhores planos de negócio em cinco categorias – Indústria, Comércio, Serviços, Agronegócios e Negócios Digitais – com uma viagem ao Vale do Silício, Estados Unidos. Dois dos professores orientadores também são beneficiados com o prêmio.

O “Empreende UFSC” é uma ampliação do programa “Educação Empreendedora na UFSC: implantação de atividades de fomento ao empreendedorismo e propriedade intelectual”, resultado da parceria firmada em 2013 com o Sebrae. A diretora do Departamento de Inovação Tecnológica (DITS) da Propesq, Rozangela Curi Pedrosa, explica que, atualmente, existem outros parceiros como o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) e a Secretaria do Estado de Desenvolvimento Sustentável de Santa Catarina (SDS-SC).

O pró-reitor de Pesquisa, Jamil Asseury, destacou a importância da atividade e falou com otimismo da evolução da visão empreendedora no Brasil. A coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Farmácia (PGFar), Tânia Pasa, também participou do evento. No mês passado, foram abertas inscrições a todos os estudantes para uma disciplina sobre empreendedorismo por meio da PGFar. 

Consultora do Sebrae, Iara Regina Calil elencou diversas características sobre o empreendedorismo na educação universitária. Em um primeiro momento, afirmações relativas ao tema foram desconstruídas; entre elas, a de que uma boa ideia já garante o sucesso – o que, de acordo com a consultora, não é verdade. “É preciso estudar amplamente o mercado, não é possível começar um negócio sem um planejamento”, ressaltou Iara.

Além disso, o empreendedor também deve analisar a si próprio com relação a seu sonho. “Quais meus pontos fortes? e os fracos?” O sucesso deve ser planejado, o que passa pela definição do objeto, objetivo, metas, ambiente, estratégia de marketing e finanças, e pelo estabelecimento de parceiros, entre outros aspectos. “Isso ajudará o empreendedor a se convencer da viabilidade do seu projeto, e, assim, ele poderá convencer as pessoas também”, afirmou Iara.

Para Iara, empreendedorismo também é atitude. Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC

Para Iara, empreendedorismo também é atitude. Foto: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC

Um instrumento necessário a essa tarefa é o plano de negócio, documento responsável pela descrição de características, objetivos e futuras ações do empreendimento. Iara ainda chamou atenção para a importância da Universidade como reduto de excelência e ambiente propício ao desenvolvimento de pesquisas e projetos que possam resultar em ações empreendedoras. “Não importa o papel social, é preciso empreender em qualquer área.”

Alunos da disciplina “Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo II”, oferecida por meio da PGFar, também assistiram à palestra. Gabriele Zatelli, 24, mestranda em Farmácia, e Vanessa Rocha, doutoranda na mesma área, acreditam na relevância do tema. “É importante despertar essa visão no ambiente acadêmico, perdem-se muitas chances por ausência desse conhecimento”, afirma Vanessa.  Para o doutorando em Design, Ricardo Straioto, 31, a disciplina foi uma oportunidade para complementar sua pesquisa. “[Esta disciplina] Deveria estar em todos os programas, as pesquisas realizadas aqui dentro são pouco exploradas, é uma maneira de extrapolar a universidade.”

Ideias e ações

Vencedora da quarta edição do concurso, Jéssica Serafim, que na época era estudante da UFSC, falou da sua participação e da importância do plano de negócio para a criação de sua empresa. Ela e o noivo montaram uma hamburgueria gourmet que, em dois anos, já possui duas unidades de atendimento. “Não sabíamos nada de hambúrgueres”, lembra rindo. A pesquisa e o planejamento da empresa demoraram cerca de dez meses, período o qual Jéssica considera ter sido indispensável para o sucesso atual.

Ano passado, Bruno Munhoz, estudante de Agronomia da UFSC, ficou em segundo lugar na categoria Agronegócio. Ele conta que decidiu participar por incentivo da professora Rosete Pescador, que já havia orientado um colega, Célito Pescador Mezzali, vencedor na categoria Agronegóciona quinta edição do concurso. A montagem do plano foi trabalhosa e levou mais de um ano para ser concluída. Bruno destaca o acompanhamento dado pelo Sebrae para o desenvolvimento do trabalho.

Os cinco finalistas recebem assessoria do Sebrae a fim de aperfeiçoar seu plano antes da última avaliação pela banca julgadora. A analista técnica da instituição, Mariana Vitarelli, ressalta que qualquer interessado em montar um plano de negócio e que não saiba por onde começar pode procurar uma agência do Sebrae.

Durante o evento, o consultor do Sebrae em negócios sociais, Márcio Jappe, citou outras iniciativas empreendedoras; entre elas, o QEdu, plataforma que disponibiliza dados educacionais de forma inovadora. Ela foi construída por meio de uma start-up da qual Ricardo Fritsche – então graduando em Ciências da Computação na UFSC – foi um dos fundadores. Outro exemplo é o Podshare – sistema baseado no compartilhamento de veículos –, criado por oito alunos da Universidade.

O “Empreende UFSC” ainda prevê outras atividades, como oficinas de redação de patentes (parceira UFSC/SDS-SC/Inpi), vitrine tecnológica UFSC (cofinanciamento CNPq), III Feira Inventor UFSC (cofinanciamento CNPq), Desafio Sebrae Nacional e a disciplina “Propriedade Intelectual, Transferência de Tecnologia, Inovação e Empreendedorismo”, que será aberta novamente no próximo semestre.

 

Samantha Sant’Ana/Estagiária/DGC
samantha.s@grad.ufsc.br

Revisão: Claudio Borrelli/Revisor de Textos da Agecom/DGC/UFSC

Fotos: Henrique Almeida/Agecom/DGC/UFSC