Construtora retoma obras do Instituto de Engenharias de Superfície

15/03/2016 11:55

A segunda etapa da obra do Instituto de Engenharias de Superfície, que estava paralisada desde janeiro de 2013, recomeçou no dia 29 de fevereiro e está em andamento. O canteiro © Pipo Quint / Agecom / UFSCde obras está sendo preparado para descarga de material e para garantir a segurança dos trabalhadores e da comunidade universitária. Os trabalhos serão realizados pela construtora Salver, a mesma que executou a primeira parte da obra. A empresa foi a vencedora da licitação aberta pela Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (Fapeu), que é a responsável pelo gerenciamento dos recursos liberados pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). A obra está orçada em cerca de R$ 2,9 milhões e tem prazo de conclusão de 300 dias, com conclusão prevista para dezembro de 2016. O término do convênio com a Finep acontece em fevereiro de 2017.

“Esta boa notícia é resultado do trabalho muito intenso de nossa equipe que conseguiu resolver todas as pendências, encontrando soluções que viabilizaram o reinício da obra”, comemora a reitora Roselane Neckel. Quando o prédio estiver pronto, mais de 150 pesquisadores trabalharão no local e haverá espaços para atividades de interação e transferência de tecnologia para o setor produtivo. O custo total da edificação será de R$ 5.859.147,09.© Pipo Quint / Agecom / UFSCCom uma área de 4.034,40 m², o Instituto de Engenharias de Superfície recebeu recursos de projetos CT-INFRA aprovados em 2008 e 2009. O edifício tem oito andares e esteve com a obra paralisada porque foi embargado pela Finep por descumprimento do projeto original e por falta de recursos para a sua conclusão. “A Finep demorou entre maio de 2012 e abril de 2013 para fazer uma auditoria na obra e liberar a sua continuidade. Depois de aprovada a repactuação, em outubro de 2013, a Finep prorrogou o prazo de execução por mais um ano, mas somente depositou os recursos em maio de 2015. A greve dos servidores no ano passado de mais de três meses atrasou a licitação, que somente aconteceu em dezembro de 2015. Agora, finalmente, estamos retomando as atividades e a expectativa é de que seja entregue para a comunidade no prazo”, explica o diretor do Departamento de Projetos (DP) da Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq), Elias Machado, coordenador geral do CT-Infra na UFSC.

Repactuação com a Finep

No projeto original, a UFSC havia solicitado recursos para a construção de quatro andares e, sem autorização da Finep, ampliou a área construída para oito andares, incluindo mais dois de laboratórios, um estacionamento e um auditório. A Finep somente aceitou liberar a parcela para a segunda etapa depois que a UFSC se comprometeu a conseguir recursos próprios para a conclusão da área que excedia o projeto contratado. A proposta submetida nos anos de 2008 e 2009 previa uma área total de 2.825 m² e a Finep aprovou a liberação de R$ 3.247.000,79. Na primeira etapa, a UFSC gastou R$ 2.456.000,81, sendo que, deste total, R$ 1.169.000,02 estavam destinados à segunda etapa.

A solução encontrada pela Propesq foi, em troca da complementação orçamentária, destinar dois andares do prédio para abrigar o Laboratório Interdisciplinar para o Desenvolvimento de Nanoestruturas (Linden), mantido através de convênio com o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e que funciona provisoriamente no Departamento de Química. “O convênio com o Ministério prevê a existência de uma sede para o Linden e com a contrapartida a UFSC atendeu as exigências da Finep e do MCTI”, explica o pró-reitor de Pesquisa, Jamil Assreuy. A UFSC justificou que os outros andares que estavam fora do originalmente contratado com a Finep serão destinados ao Linden, a um estacionamento, no térreo – uma exigência para o licenciamento pela Prefeitura Municipal -, e a um auditório para a realização de eventos acadêmicos e de interação com o setor produtivo, uma das finalidades dos laboratórios instalados no local. Na repactuação com a Finep, foi assumido o compromisso de complementar o orçamento para a conclusão da obra com um aporte de mais R$ 1.947.000,79.

VISTA 2

Maquete da Instituto de Engenharias de Superfície do CTC da UFSC

Definição de atividades

No dia 24 de fevereiro, a Propesq convocou uma reunião para tratar da retomada das obras com a presença do diretor do DP e do coordenador técnico do Subprojeto Superfícies, Lourival Boehs, do administrador e coordenador de Projetos Institucionais do DP, Vítor do Nascimento da Silva, do diretor do Departamento de Fiscalização de Obras (DFO), Rodrigo Bossle, dos fiscais de obras Paulo Roberto Medeiros dos Santos e Guilherme Schmidt Silva, do representante da construtora contratada, Salvio Pedro Machado, e do representante da Fapeu, Amilton da Rosa Sobrinho. O professor Elias Machado esclareceu os participantes sobre os procedimentos administrativos e as funções de cada uma das partes envolvidas: DP, DFO e Fapeu. Após a reunião, os participantes se deslocaram até o local da obra para vistorias e acertos finais com a administração de prédios do Centro Tecnológico (CTC) da UFSC.

Com informações da Propesq

Fotos: Pipo Quint / Fotógrafo / Agência de Comunicação / Diretoria-Geral de Comunicação / UFSC