Nota de Esclarecimento sobre Bolsas e Benefícios Estudantis

22/08/2015 14:16

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina esclarece que:

1. O Restaurante Universitário do campus Trindade está fechado em função da greve nacional dos técnicos-administrativos em Educação e será reaberto até o dia 31 de agosto.

2. Não houve qualquer redução ou corte de bolsas e benefícios estudantis. Todos os benefícios de assistência estudantil estão sendo pagos no prazo regulamentar. Em termos numéricos, isto representa:

2.1. 2.060 estudantes recebendo Auxílio Alimentação Emergencial no valor de R$ 7,50/dia ou R$ 15,00/dia, em função do fechamento do RU;

2.2. 2 mil estudantes recebendo Bolsa Estudantil UFSC no valor de R$ 555,00;

2.3 1150 estudantes recebendo Auxílio Moradia no valor de R$ 250,00;

2.4. 50 estudantes recebendo Auxílio Creche nos valores de R$ 468,00 (meio período) ou R$771,00 (período integral);

2.5. subsídio do custo alimentação de aproximadamente 3 mil estudantes nos Restaurantes Universitários terceirizados e em funcionamento no Centro de Ciências Agrárias (CCA) e nos campi Araranguá, Curitibanos e Joinville.

2.6. custeio da alimentação de aproximadamente 100 estudantes com vulnerabilidade socioeconômica do Colégio de Aplicação da UFSC

2.7. custeio total das despesas com luz, água, segurança, entre outras, da Moradia Estudantil, que abriga 182 estudantes atualmente.

3. Aproximadamente 1200 estudantes ingressantes nos cursos presenciais sediados no campus David Ferreira Lima (Trindade) em  semestres anteriores a 2015.2, cujos Cadastros Socioeconômicos expiraram durante o período de adesão à Greve Nacional dos TAE´s, tiveram a validade de seus cadastros prorrogadas automaticamente por 90 dias. Oportunamente, o Sistema de Cadastro Socioeconômico enviará lembretes eletrônicos para indicar os prazos e procedimentos necessários à renovação do CSE.

4. Os Editais 2015.2 serão todos publicados no mês de agosto. Os Editais de Renovação da Bolsa Estudantil UFSC e de Novas Bolsas Estudantis UFSC serão publicados no dia 27 e o Edital de Isenção do RU dia 29. Até a presente data, quatro já foram publicados, a saber:

4.1. Edital 016/PRAE/2015 – Isenção de Inscrição em Cursos Extracurriculares de Língua Estrangeira (150 vagas);

4.2. Edital 017/PRAE/2015 – Isenção de Inscrição em Atividades Esportivas (103 vagas);

4.3. Edital 019/PRAE/2015 – Auxílio Moradia (850 vagas);

4.4.Edital Auxílio Creche (20 vagas).

5. Para que os calouros 2015.2 tenham a oportunidade de concorrer aos benefícios, assim que concluírem seus Cadastros Socioeconômicos lançaremos editais complementares de auxílio moradia, bolsa estudantil UFSC e auxílio creche. O prazo de publicação destes editais ainda não está definido porque depende do retorno ao trabalho das Assistentes Sociais da CoAEs (Coordenadoria de Assistência Estudantil), que aderiram à greve nacional dos técnicos . No entanto, objetivamos publicá-los até a primeira quinzena do mês de outubro. Em qualquer tempo, os pagamentos aos beneficiados serão retroativos ao mês de agosto.

6. Calouros 2015.2 ingressantes pela política de ações afirmativas foram orientados a comparecer nos plantões de recepção da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE) no início do semestre. No decorrer desta atividade, algumas ações foram executadas em caráter excepcional, considerando-se a situação de risco à vida ou a permanência dos recém ingressos: a) isenção do custo da alimentação no restaurante dos Volantes enquanto o RU estiver fechado; b) alojamento provisório no Módulo III da Moradia Estudantil; c) agendamento prioritário para análise do Cadastro Socioeconômico no Serviço Socioassistencial da CoAEs no retorno das Assistentes Sociais ao setor, após o fim da greve.

7. A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE), apesar da greve nacional dos técnicos-administrativos,  manteve o atendimento presencial e telefônico (3721-2706) aos estudantes. Há dois técnicos e duas estagiárias atendendo diariamente no Térreo da Reitoria, das 08:00 às 12:00 e das 14:00 às 17:00, de segunda a sexta-feira. Demandas que não podem ser resolvidas por eles são encaminhadas para os pró-reitores, diretores e coordenadores da Pró-Reitoria, os quais buscam dar soluções possíveis considerando-se o fechamento de alguns setores da PRAE, como o RU (Restaurante Universitário) e o Serviço Socioassistencial da CoAEs;

8. Outros setores da PRAE, como a Administração da Moradia Estudantil, o LABUFSC e o Serviço de Psicologia da CoAES funcionam normalmente;

9. Reafirmamos que não houve cortes no orçamento da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE).

 

Florianópolis, 22 de agosto de 2015

 

Administração Central

Universidade Federal de Santa Catarina

Informe sobre reabertura do Restaurante Universitário

19/08/2015 23:33

A Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina informa que:

1. respeita o direito constitucional de greve;
2. o fechamento do Restaurante Universitário (RU), em junho, deveu-se à greve nacional dos técnicos-administrativos em Educação (TAEs);
3.  solicitou ao Comando Local de Greve dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação , conforme noticiado  em 29 de junho, a reabertura do RU, tendo em vista a necessidade de atender  os estudantes;
4.realizou reuniões com o Diretório-Central dos Estudantes (DCE) nas quais foram apresentados relatos sobre a  gravidade da situação para os alunos em decorrência do fechamento do Restaurante Universitário.

Diante deste contexto, foram feitos encaminhamentos administrativos  – todos com base legal – que irão viabilizar a reabertura do RU até 31 de agosto de 2015, oferecendo almoço e jantar.  Tal medida visa proporcionar condições de permanência aos estudantes, fundamentais para a Universidade Federal de Santa Catarina, uma instituição que conta hoje com mais de 2 mil alunos em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Florianópolis,  19 de agosto de 2015.

Administração Central

Universidade Federal de Santa Catarina

Administração Central solicita reabertura do RU ao Comando Local de Greve

29/06/2015 12:08

A reitoria encaminhou, no dia 11 de junho, ofício ao Comando Local de Greve dos Servidores Técnico-Administrativos em Educação. No ofício nº 10/2015/GR foi solicitada a manutenção do funcionamento do Restaurante Universitário (RU) até o final do semestre letivo, marcado para 18 de julho. “Respeitamos o movimento de greve, porém, ressaltamos a importância do respeito à assistência estudantil com a garantia do funcionamento do RU, sendo essa uma demanda de alta relevância social”, escreveu o chefe de Gabinete, Carlos Vieira, que assina o documento. A demanda não foi atendida pelo Sindicato dos Trabalhadores da UFSC (Sintufsc).

No ofício nº 021/CLG/Sintufsc/2015, o Comando Local de Greve explica que os trabalhadores são “defensores em atender as atividades consideradas essenciais, principalmente as necessárias à manutenção da vida, o que não foi caracterizado no ofício circular nº 10/2015/GR”. Na UFSC, a greve nacional dos TAEs foi iniciada no dia 1º de junho. No RU, atuam 40 técnicos efetivos e 33 aderiram à greve, entre eles 17 cozinheiros. Desde o dia 4 de junho, as atividades no local estão suspensas.

Estudantes que têm suas inscrições para isenção no RU homologadas pelo Sistema de Cadastro Socioeconômico estão recebendo auxílio-alimentação de R$ 7,50 por dia (para quem optou por isenção em uma refeição/dia) e R$ 15,00 por dia (para quem optou por isenção em duas refeições/dia). Este ano, ao contrário do que foi feito em 2014, não foi possível disponibilizar ônibus para transportar os estudantes até o Centro de Ciências Agrárias (CCA) em função de restrições orçamentárias. Em 2014, o RU contou com investimento total de R$ 13.664.673,86 e arrecadou cerca de R$ 1,9 milhão com a venda de passes. A maior parte dos recursos investidos é do orçamento próprio da Universidade, considerando que o valor do Plano Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) não é suficiente para garantir todas as políticas de permanência da UFSC.

“Os recursos do Pnaes são utilizados, prioritariamente, para o pagamento de bolsas para os estudantes e para a Moradia Estudantil, e não para o Restaurante Universitário. Em 2015, a UFSC tem previsão de receber R$ 19.502.100,00 do Pnaes, sendo que, desse valor, R$ 2 milhões são para capital (compra de material permanente) e o restante de custeio (bolsas e auxílios). Desse valor, temos disponíveis ainda R$ 7.800.311,60 para garantir as políticas até o final do ano. Os recursos são para utilização  anual e, por isso, devem ser utilizados de  forma planejada”, explica Sergio Luis Schlatter Junior, diretor de Assuntos Estudantis da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae).

A verba do Pnaes, conforme o Decreto nº 7.234, de 19 de julho de 2010, deve ser utilizada, prioritariamente para garantir a permanência de estudantes oriundos da rede pública de educação básica ou com renda familiar per capitade até um salário mínimo e meio.

O Ministério da Educação (MEC) ainda não divulgou o orçamento da Universidade para 2015. Na última quarta-feira, 24, a reitora Roselane Neckel, o pró-reitor de Graduação Julian Borba e o pró-reitor de Planejamento e Orçamento, Antonio Cezar Bornia, reuniram-se em Brasília com o secretário de Educação Superior da Secretaria de Educação Superior (SESu/MEC), Jesualdo Pereira Farias. Em pauta, o orçamento da UFSC. “Entre as nossas prioridades estão recursos para a assistência estudantil e para as obras essenciais para os cursos REUNI, pois, desde 2008, havia um déficit de mais de 50 mil metros quadrados em termos de infraestrutura”, explica Roselane. O MEC só deve divulgar os orçamentos das instituições federais a partir do final de julho.

“O corte de aproximadamente 9 bilhões de reais no Orçamento do MEC é uma realidade. O MEC e a Associação dos Dirigentes de Instituições Federiais de Ensino Superior (Andifes), reitores e reitoras têm feito pressão para mudar essa situação de contenção orçamentária junto ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão”, explica Roselane. Segundo a reitora, educação deve ser vista  como  investimento e não como um gasto para o governo federal. “Como gestores temos a responsabilidade de administrar considerando a possibilidade desse quadro não ser modificado no ano de 2015. Precisamos administrar com cautela, para garantir recursos para a continuidade das atividades acadêmicas e permanência estudantil para todos os meses do ano de 2015”, disse.

Diretoria-Geral de Comunicação / UFSC

UFSC aumenta em R$ 7 milhões investimentos em políticas de permanência entre 2012 e 2014

13/06/2015 22:13

 A Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) investiu mais de R$ 31,5 milhões em políticas de permanência estudantil durante o ano de 2014. Esse número representa um incremento de mais de R$ 7 milhões sobre o valor investido no ano de 2012, que foi de R$ 24,5 milhões. Despesas com alimentação – Restaurante Universitário (RU) e programas de isenção –, bolsas estudantis e outros programas da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) estão inclusos nesses valores. A previsão é de que em 2015 também haja aumento de investimentos.

Números divulgados pela Prae apontam que o principal incremento deve-se ao pagamento de bolsas, que cresceu mais de 57% entre 2012 e 2014. “O ano de 2014 foi o primeiro ano do programa Bolsa Estudantil, criado em 2013 que revogou a Bolsa Permanência e as exigências de contrapartida de trabalho dos estudantes. Registrou-se um aumento de cerca de 10% no número de bolsas e benefícios concedidos aos estudantes”, aponta a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Denise Cord.

Em 2014 a Prae criou, ainda, o Programa de Apoio Emergencial de Permanência (Paep), que tem como objetivo atender a demandas quando há impossibilidade de enquadramento nos prazos e programas dos editais regulares. Outras demandas foram atendidas com programas complementares como a Bolsa Estudantil Suplementar (que atendeu estudantes que faziam parte do antigo Programa Bolsa Permanência e que não foram contemplados pelo Programa Bolsa Estudantil) e o Auxílio Complementar de Permanência (que paga a diferença do valor entre a Bolsa Permanência MEC e a Bolsa Estudantil UFSC, exclusivamente para alunos com perfil de vulnerabilidade socioeconômica).

Também houve aumento nos investimentos na alimentação dos alunos, tanto na manutenção dos Restaurantes Universitários de todos os campi da UFSC como em programas de isenção e bolsas de auxílio pagas, em períodos de greve, aos estudantes com vulnerabilidade socioeconômica. Em 2014, devido à greve dos técnicos-administrativos em Educação, o RU esteve fechado durante o período de 17/03 até 01/07. Mesmo assim, observou-se aumento no número de refeições servidas, atingindo-se a média de 9.407 por dia, no RU do campus Trindade. No período foram beneficiados com isenção no pagamento da refeição 2.876 estudantes em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Moradia e permanência

O ano de 2014 foi de muito trabalho e investimento em moradia e outros programas da Prae. A abertura ao diálogo também teve papel importante, com a ativação do Comitê de Assuntos Estudantis (CAE) para debater os processos e prioridades da gestão. “Foi uma oportunidade importante de apresentar aos estudantes os esforços que vêm sendo aplicados na permanência estudantil. Em 2014 fizemos investimentos importantes na Moradia, além de investir mais de R$ 2,8 milhões no pagamento do auxílio-moradia. Tudo isso sem levar em conta programas como a isenção em cursos de língua estrangeira, o auxílio-creche, e 53 vagas com isenção em atividades de esporte e lazer vinculadas aos cursos de extensão do Centro de Desportos (CDS), entre outros benefícios”, complementa Denise Cord. A Moradia Estudantil, com 167 vagas para estudantes de graduação da UFSC, recebeu melhorias como a construção de uma nova cisterna, para evitar interrupções do fornecimento de água, e a aquisição de 10 lavadoras de roupas, novos fornos micro-ondas, ventiladores e luminárias de mesa. Um projeto de reforma do módulo III, área que estava inativa, possibilitou a abertura de novo espaço para atividades de convivência e para a realização de cursos e oficinas, atendendo a uma demanda reprimida desde 2012. Além disso, a reforma estruturou no local um alojamento temporário que atenderá demandas de alunos em atividades acadêmicas de curta duração provenientes de outros campi ou vinculados a cursos de graduação em regime de alternância.

Mayra Cajueiro Warren
Jornalista / Diretoria-Geral de Comunicação
imprensa.gr@contato.ufsc.br 

Prae comunica fechamento do RU a partir da próxima quinta-feira

02/06/2015 09:30

O Restaurante Universitário (RU) do campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no bairro Trindade estará fechado a partir da próxima quinta-feira, 04, em virtude da adesão dos servidores técnico-administrativos em educação (STAEs) daquele setor à greve nacional da categoria.

Estudantes que tiverem suas inscrições para isenção no RU homologadas pelo Sistema de Cadastro Socioeconômico até o dia 03 de junho de 2015 receberão auxílio-alimentação de R$ 7,50 por dia (para quem optou por isenção em uma refeição/dia) e R$ 15,00 por dia (para quem optou por isenção em duas refeições/dia).
(mais…)

Comissão vai propor melhorias para funcionamento do RU

03/09/2014 13:26

As reitoras da UFSC, Roselane Neckel e Lúcia Helena Martins Pacheco, e os pró-reitores de assuntos estudantis, Denise Cord e Maurício Petrucio, participaram de uma

Restaurante Universitário do Campus Trindade. Foto: Carla Costa / Agecom / UFSC

Restaurante Universitário do Campus Trindade. Foto: Carla Costa / Agecom / UFSC

reunião com o Diretório Central dos Estudantes (DCE), na tarde desta terça-feira. No encontro, foi acordada a criação de uma comissão formada por representantes do DCE e da Administração Central para estudar, em conjunto, o funcionamento do Restaurante Universitário (RU).

Para a reitora Roselane Neckel, é muito importante ouvir o usuário e buscar aperfeiçoamentos constantes. “Com esta comissão, vamos trabalhar juntos, reitoria e DCE, para atender às demandas da comunidade”, afirma. O chefe de Gabinete, Carlos Vieira, e o diretor de assuntos estudantis, Sérgio Schlatter Jr., também participaram da reunião com os estudantes.

Os trabalhos devem ajudar a propor medidas que aperfeiçoem o atendimento ao usuário. Em agosto, de acordo com dados da PRAE, às terças, quartas e quintas, foram servidas, em média, cerca de 7.400 refeições durante o almoço, mil a mais do que a média registrada em 2013 e primeiro semestre de 2014. “O aumento das filas é uma prova do crescimento da procura neste início de semestre. O RU é o que mais serve refeições diárias entre restaurantes de universidades públicas federais de todo o País”, explica Denise Cord.

O cardápio, a qualidade dos alimentos e o valor cobrado – R$ 1,50 para os estudantes – ajudam a explicar a procura crescente por atendimento. Uma pesquisa realizada em 2013 apurou os preços das refeições dos restaurantes universitários de 47 universidades federais e constatou que 15 delas cobram de R$ 2,00 a 2,99 por refeição e 18, de R$ 1,00 a R$ 1,99. Na UFSC, 1.902 alunos são isentos e podem almoçar e/ou jantar no RU gratuitamente.

Restaurante Universitário retoma atividades nesta quarta-feira

02/07/2014 15:20

O Restaurante Universitário (RU) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), localizado do campus da Trindade, em Florianópolis, reabre as portas à comunidade às 11 horas da próxima quarta-feira, 2 de julho, depois de mais de 100 dias inativo em função da greve nacional da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativo em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA). O retorno ao atendimento possibilita a estudantes, servidores técnico-administrativos, professores e visitantes refeições balanceadas a preços acessíveis.

Pouco mais de 24 horas após o fim do movimento, o Restaurante retoma as atividades. “Houve uma preparação da direção do RU para que fosse possível organizar os pedidos para preparar a volta com agilidade”, informa o diretor do Departamento de Assuntos Estudantis (DeAE), Sérgio Schlatter Junior.
(mais…)

Reitoras emitem comunicado aos estudantes sobre ações durante a greve dos TAEs

30/05/2014 10:42

Esclarecimentos sobre as ações da Reitoria e as condições de permanência durante a greve
dos técnicos-administrativos em Educação

Em resposta à solicitação encaminhada a respeito do funcionamento do Restaurante e da Biblioteca Universitária no campus de Florianópolis durante o período de greve dos técnicos-administrativos em Educação, a Administração Central da Universidade Federal de Santa Catarina esclarece que:

1. A greve é um direito constitucional sobre cuja dinâmica os gestores das universidades federais não têm qualquer influência, tendo em vista que as negociações com a categoria se dão, essencialmente, no âmbito do Governo Federal, conforme ponto de pauta apresentado pela Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (FASUBRA) à Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES).

2. O Conselho Universitário da UFSC, órgão máximo da instituição, já se manifestou com relação à greve, em nota aprovada em abril de 2014.

3. A situação de restaurantes e bibliotecas fechadas pode ser encontrada em quase todas as instituições federais de ensino superior cujos técnicos-administrativos em Educação estão em greve.

4. Desde que foi informada da deflagração da greve, a Reitoria buscou alternativas para viabilizar o funcionamento do Restaurante Universitário. A única saída possível foi a ampliação do atendimento no restaurante do Centro de Ciências Agrárias (localizado no Itacorubi) e a disponibilização de ônibus gratuitos saindo do campus da Trindade todos os dias. Não há condições para o funcionamento do restaurante do campus da Trindade, pois os servidores que atuam em áreas técnicas estratégicas e especializadas do setor estão em greve, o que inviabiliza sua abertura.

5. Quanto à Biblioteca Central, não é possível nenhuma solução alternativa para a abertura, ainda que parcial, do setor, já que não temos disponibilidade de pessoal para realizar os procedimentos mínimos de preservação do patrimônio.

6. Cabe destacar, ainda, que a ampliação do quadro de referência de novos técnicos-administrativos em Educação tem sido uma prioridade na agenda de solicitações da Reitoria da UFSC junto ao Ministério da Educação. Enquanto o número de estudantes na UFSC cresceu 42% entre 2002 e 2011, o número de técnicos cresceu apenas 4%. Segundo dados disponíveis no relatório do grupo de trabalho Reorganiza UFSC (ver tabela abaixo), no período entre 1980 e 2011 o número de estudantes subiu de 11.339 para 44.211. Já o número de técnicos-administrativos cresceu apenas de 1.901 para 3.005, ou seja, houve um incremento completamente desproporcional à demanda. Hoje temos um total de 3.457 vagas para técnicos-administrativos em Educação, das quais 3.109 estão ocupadas e 348 estão sendo preenchidas por meio de editais já em andamento. Sobre o déficit mencionado, o relatório do grupo de trabalho Reorganiza UFSC faz a seguinte análise:

Se tomada a evolução da população universitária ao longo dos 31 anos do período, enquanto o Corpo Discente apresenta um crescimento da ordem de 290%, o Corpo Funcional cresce apenas 43%. A quantidade de servidores docentes e TAEs, em relação à população universitária, passa de 25% para 10%, ou seja, se na UFSC, em 1980, havia para cada 3 estudantes um servidor docente ou TAE, em 2011, havia para cada 9 estudantes um servidor docente ou TAE. Entre os TAEs, chama a atenção a relação Nº de TAEs a cada mil estudantes entre os anos de 1989 e 2010, onde a razão passa de 219 para 66, uma queda de 70%. No mesmo sentido, destacamos o aumento do percentual de TAEs do HU em relação ao total de TAEs na UFSC: de 20% (1980) passa a 44% (2011).

7. A Reitoria já fez quatro reuniões com o Comando Local de Greve. Nelas, sempre faz questão de destacar a importância dos espaços da Biblioteca e do Restaurante Universitário para a vida acadêmica, especialmente dos estudantes. No entanto, amparados pelo direito de greve, reafirmaram o fechamento desses setores.

8. Preocupada com o funcionamento dos serviços essenciais da Universidade, a Administração Central encaminhou o Ofício Circular nº 14/2014/GR para o Comando Local de Greve em 14 de abril de 2014, destacando a importância de se retomarem tais atividades. Contudo, recebemos a resposta do Comando Local de Greve via ofício informando que nenhuma das atividades elencadas seria retomada.

9. No que tange ao funcionamento do Restaurante Universitário e da Biblioteca Central, cabe-nos frisar, ainda, que os próprios estudantes, reunidos no Conselho de Entidades de Base (CEB) em 21 de março de 2014, aprovaram uma nota de apoio incondicional à greve dos técnicos. Ressalte-se que havia duas propostas em pauta, das quais a primeira foi aprovada por maioria:

a. “Uma nota incondicional de apoio à greve”;
b. “Uma nota de apoio condicionada à abertura parcial imediata do Restaurante Universitário e da Biblioteca Central”.

10. Diante de um quadro que, enfatizamos, é nacional, reforçamos que em todos os momentos a Reitoria priorizou o diálogo e o respeito a todos e todas, buscando manter a maior parte das atividades essenciais. Também deu primazia ao atendimento aos estudantes com situação de vulnerabilidade socioeconômica, a fim de minimizar os prejuízos advindos de um período de greve.

11. Todo o esforço da equipe da gestão tem sido para manter a UFSC funcionando, em respeito àqueles/as que não estão em greve, mas é impossível acreditar que poderemos passar por uma greve sem ter de administrar dificuldades de toda ordem. Esta não é a situação que desejamos, mas é a que temos no momento.

Reafirmamos a nossa disponibilidade para o diálogo, lembrando que esta Reitoria não pode se opor a direitos legalmente constituídos, porém compromete-se a levar novamente a solicitação dos estudantes ao Comando Local de Greve a fim de que se possa encontrar uma solução alternativa o mais rapidamente possível, garantindo o necessário diálogo na busca do encaminhamento das diferentes questões presentes em sua pauta de reivindicações e, sobretudo, mantendo o clima de respeito mútuo necessário a uma convivência democrática e à defesa dos ideais de uma universidade pública de qualidade.

Florianópolis, 29 de maio de 2014.

 

Roselane Neckel e Lúcia Helena Martins Pacheco
Reitoras da UFSC

 

População universitária da UFSC entre 1980 e 2011. (Fonte: Relatório do grupo de trabalho Reorganiza UFSC)

RU fechado a partir desta quarta-feira, dia 19

19/03/2014 13:37

O Restaurante Universitário (RU) do campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) no bairro Trindade estará fechado a partir desta quarta-feira, 19 de março, em virtude da adesão dos técnicos-administrativos em educação (TAEs) daquele setor à greve nacional da categoria. A Administração Central, no intuito de garantir condições mínimas às atividades acadêmicas, disponibilizará transporte para que os estudantes possam almoçar no RU do Centro de Ciências Agrárias (CCA), no bairro Itacorubi. O transporte sairá diariamente, de segunda a sexta-feira, do Centro de Cultura e Eventos, a partir das 11 horas. O RU do CCA funcionará das 11 às 14 horas.

Estudantes que possuem isenção no RU, com cadastro socioeconômico devidamente aprovado e atualizado e que estejam inscritos no Edital nº 003/PRAE/2014, receberão um auxílio-alimentação de R$ 15,00 por dia, por meio de depósito bancário.

A Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) comunica que os estudantes que não têm seus dados bancários atualizados devem acessar o sistema de cadastro socioeconômico disponível aqui.

Saiba mais
Alterações no atendimento da UFSC em decorrência da greve

Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis 

Restaurante Universitário fecha domingo e reabre na quinta-feira, 6 de março

27/02/2014 16:31

A Direção do Restaurante Universitário (RU) da UFSC informa que, durante os dias 2, 3, 4 e 5 de março de 2014, o restaurante estará fechado para a finalização das reformas iniciadas em janeiro deste ano.

O RU da Trindade está entre os espaços que foram contemplados em um recente pacote de obras autorizado pela Administração Central. De acordo com a diretora do RU, Beatriz Conedera Martinelli, foi realizado o levantamento das necessidades do local no final de 2012. Em 2013, foram feitas a pintura e a reposição de piso dentro da cozinha, que apresentava problemas. As obras foram executadas em períodos de férias ou de recesso. Os setores de preparação das carnes, das sobremesas e das saladas também passaram por reformulações, com a retirada das paredes que existiam entre eles. Segundo Beatriz, essa era uma reivindicação dos funcionários.
(mais…)

  • Página 1 de 2
  • 1
  • 2