O nosso compromisso com o Hospital Universitário

27/04/2015 14:06

Na próxima quarta-feira, 29 de abril, a comunidade da Universidade Federal de Santa Catarina – estudantes, técnico-administrativos e docentes – participará da consulta pública sobre a adesão ou não à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH). Esse evento, que acontece a poucos dias do aniversário de 35 anos de fundação do Hospital Universitário (HU), foi convocado pelo Conselho Universitário da instituição após um longo e intenso processo de debate. Trata-se de um momento inédito, do qual a comunidade é convidada a participar de forma ativa, permitindo que conselheiros e conselheiras saibam o que pensam docentes, discentes e técnicos sobre tema tão relevante.

 O compromisso da gestão da UFSC no processo tem sido o de garantir que essa decisão, independentemente de seu resultado, seja tomada da forma mais democrática e participativa possível. No final de 2014 foram realizados sete debates em toda a Universidade, cujas gravações estão disponíveis para consulta. Nesses debates, foram abordadas questões fundamentais da trajetória do HU, de sua situação atual, de sua importância no atendimento público de saúde no estado e da situação geral dos hospitais universitários no Brasil.

O Hospital Universitário da UFSC é resultado do trabalho de homens e mulheres que não mediram esforços para superar as adversidades que se apresentaram ao longo de mais de três décadas. Essas pessoas ajudaram a construir uma história calcada na compreensão do que significa um hospital público e universitário, um hospital-escola. Como hospital público, o HU segue os princípios da Reforma Sanitária brasileira, da Constituição Federal e do Serviço Único de Saúde (SUS), de universalização e de democratização do acesso aos serviços de saúde com qualidade, de uma visão ampliada de saúde, incluindo seus determinantes sociais, do acesso à saúde como parte da cidadania e como direito social e de uma gestão participativa nas políticas em saúde.

Foram longos anos desde 1964 – quando começaram as obras do Hospital – até sua inauguração, em maio de 1980, a qual só foi possível graças à mobilização e à luta da comunidade universitária para viabilizar os recursos necessários à finalização da obra. Essa luta nunca parou: a trajetória do HU é de trabalho, esforço e dedicação por parte de seus trabalhadores e gestores, assim como dos docentes, estudantes e técnico-administrativos de diversos departamentos do Centro de Ciências da Saúde e de outros centros envolvidos com o Hospital por meio de estágios, de projetos de extensão e de pesquisa.

 O HU é uma referência para a saúde pública de Santa Catarina, e não é à toa que esse debate tem sido também pauta para além dos muros da Universidade, envolvendo usuários dos serviços públicos de saúde e a população em geral, o que expressa o reconhecimento e a importância social alcançados ao longo destes anos.

 Como um hospital-escola, o HU se diferencia dos demais hospitais públicos por propiciar, além de assistência à saúde, a formação de profissionais, a extensão e a pesquisa. O hospital-escola, ao articular essas dimensões, tem um papel importante quanto ao atendimento à saúde nos diversos graus de complexidade, atuando nos três níveis de assistência: o básico, o secundário e o terciário. É também um espaço de humanização do atendimento e de experimentação de novos métodos e procedimentos. Além disso, sendo parte da UFSC, o HU atende ao projeto político-pedagógico da Universidade.

 No entanto, o HU não ficou imune aos sérios problemas que atingiram o conjunto dos hospitais universitários do País, pelas dificuldades de financiamento e de gestão e pela mercantilização crescente da saúde em nível não apenas nacional, mas também global. Além disso, o custo de manutenção de um hospital-escola é mais elevado que o de outros hospitais, pelo seu necessário vínculo com atividades de formação e de pesquisa. Por isso, os parâmetros de avaliação não podem ser os mesmos de qualquer hospital público, muito menos de uma empresa com fins lucrativos.

 Parece consenso entre as várias visões que é necessário resgatar a trajetória histórica do HU e os ideais que o fundaram, ao mesmo tempo em que se deve ter claro o que significa hoje lutar por um hospital público, de ensino, de extensão e de pesquisa, que atenda com qualidade às necessidades da população.

Como saldo dos debates, é importante resgatar alguns dos princípios que sempre estiveram presentes na história do HU e que nos comprometemos a defender em todas as instâncias, independentemente do resultado da consulta pública:

 

  • o HU como hospital-escola e como espaço estratégico de formação, extensão e pesquisa, atividades voltadas à necessidade da saúde pública e realizadas nos princípios da independência e da autonomia universitária;
  • a manutenção do HU como 100% SUS;
  • a manutenção do HU como parte da UFSC, incluindo a gestão participativa, o controle e a escolha dos dirigentes feitas no âmbito da Universidade;
  • o estabelecimento de parâmetros de gestão e de avaliação norteados ao bem-estar da população, à formação de profissionais voltados para o sistema público de saúde e à realização de pesquisas inovadoras e de ponta, independentes dos interesses de lucro das grandes empresas da área de saúde;
  • a garantia dos direitos dos trabalhadores técnico-administrativos e docentes, vinculados ao HU como trabalhadores do Estado brasileiro, voltados ao serviço público;
  • o estabelecimento de um modelo de atendimento à saúde em consonância com os princípios da Reforma Sanitária, da Constituição Federal e do SUS e com as políticas mais recentes voltadas à saúde, como o Programa Mais Médicos, do qual a UFSC é gestora no âmbito do estado de Santa Catarina;
  • a luta por mais recursos e pelo financiamento público do HU junto a diferentes ministérios, como o Ministério da Saúde, o Ministério da Ciência e Tecnologia e o Ministério da Educação.

 

Este é o nosso compromisso.

 

Roselane Neckel e Lúcia Helena Martins Pacheco

Reitora e Vice-Reitora da Universidade Federal de Santa Catarina

Comissão Eleitoral suspende eleições para representantes dos TAEs no Conselho Universitário e no Conselho de Curadores

17/04/2015 19:23

As eleições para representantes dos técnico-administrativos em Educação (TAEs) no Conselho Universitário (CUn) e no Conselho de Curadores da UFSC programadas para o dia 23 de abril foram suspensas em função de um recurso impetrado na última quinta-feira, 16. A Comissão Eleitoral designada pela Portaria nº 139/2015/Segesp, de 24 de março de 2015, acatou, por maioria, durante reunião realizada nesta sexta-feira, 17, a solicitação de impugnação por entender que há inconsistências na legislação que regulamenta o processo eleitoral em andamento.
(mais…)

Administração Central encaminha esclarecimentos ao Sintufsc

09/04/2015 14:13

A Administração Central da UFSC encaminhou, na manhã desta quinta-feira, dia 9, o Ofício Nº 173/2015/GR. O documento traz esclarecimentos sobre a aplicação da Orientação Normativa nº 06/2013, da Secretaria de Gestão Pública do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (SEGEP/MPOG). Na terça-feira, dia 7, o Sindicato dos Trabalhadores da UFSC (Sintufsc) entregou um abaixo-assinado ao chefe do Gabinete da Reitoria, Carlos Antonio Oliveira Vieira, pedindo a não aplicação da norma.

 

Diretoria-Geral de Comunicação

Conselho Universitário presta homenagem a aluno assassinado

01/04/2015 11:50

O Conselho Universitário da UFSC, reunido nesta terça-feira, 31, fez um minuto de silêncio em respeito ao estudante Diogo Medeiros, assassinado em uma casa noturna de Florianópolis, no último final de semana. Na reunião, foram discutidos diversos temas e, ao final, a reitora Roselane Neckel leu para os conselheiros a íntegra do ofício encaminhado ao DCE que trata da questão da segurança pública na UFSC e seu entorno.

A reitora falou também das ações que a Administração Central vem encaminhando para reforçar a segurança no campus.

Organizadores do 1º Fórum-SC sobre Relações entre Ifes e Fundações de Apoio disponibilizam material pós-evento

31/03/2015 12:13

O 1º Fórum-SC sobre Relações entre Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) e Fundações de Apoio: desafios a superar, melhorias a implementar” foi realizado nos dias 24 e 25 de março no Centro de Cultura e Eventos da UFSC. Promovido pela Rede de Controle da Gestão Pública de Santa Catarina e a Universidade, o evento foi o primeiro de uma série de trabalhos conjuntos previstos para os próximos anos, que debaterão a regularidade e a eficiência dos projetos das Ifes em parceria com as fundações de apoio. Os organizadores disponibilizaram o material pós-evento para todos os interessados. Os documentos compreendem legislações, normativas e slides de apresentações e podem ser acessados abaixo:

Material 1° Fórum-SC sobre relacionamento das IFES e Fundações de Apoio

Reitora reúne-se com Polícias Civil e Militar para discutir estratégias para reforçar a segurança da UFSC e do entorno

19/03/2015 19:36
Reitora Roselane Neckel e chefe de Gabinete Carlos Vieira durante reunião realizada na segunda-feira com o diretor de Polícia da Grande Florianópolis, delegado Juarez de Souza Medeiros, e o delegado Verdi Furlanetto. (Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

Reitora Roselane Neckel e chefe de Gabinete Carlos Vieira durante reunião realizada na segunda-feira com o diretor de Polícia da Grande Florianópolis, delegado Juarez de Souza Medeiros, e o delegado Verdi Furlanetto. (Foto: Henrique Almeida/Agecom/UFSC)

A reitora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Roselane Neckel, agendou reuniões com a Polícia Civil e com a Polícia Militar, nesta quarta e quinta-feira, dias 18 e 19, para tratar da segurança pública na Universidade e dos bairros do entorno. O objetivo, segundo Roselane, foi conversar sobre a situação atual da segurança pública na UFSC e nos bairros da região, além de debater ações conjuntas.

“Conversamos para saber como eles estavam, na sua estrutura, para atender às nossas solicitações, mas também falamos da segurança de todos os bairros que estão ao redor da UFSC. Apresentamos a eles o que a UFSC já vem encaminhando, por meio da Comissão Permanente de Segurança. Estão sendo feitos diagnósticos para medidas de segurança que serão apresentadas à comunidade da UFSC, além de outros procedimentos e algumas ações pontuais com melhorias na iluminação e no videomonitoramento que já foram implementadas visando a uma ampliação da segurança”, explica a reitora.

O diretor de Polícia da Grande Florianópolis, Delegado Juarez de Souza Medeiros, e o delegado Verdi Furlanetto visitaram a UFSC na quarta-feira e estiveram reunidos com a reitora e o chefe de Gabinete da Reitoria Carlos Antônio Oliveira Vieira. O delegado Medeiros relata que foi uma conversa com o intuito de estreitar ainda mais os laços entre Polícia Civil e UFSC.

A Polícia Civil deverá também participar como convidada em uma reunião da Comissão Permanente de Segurança da UFSC, cujo objetivo principal é atuar na prevenção. A intenção é apresentar a estrutura, organização e objetivos da Polícia Civil “para que a comissão de segurança da UFSC tenha um maior conhecimento sobre a proposta institucional da nossa polícia: como agimos – na esfera investigativa”, acrescenta Medeiros.

“Convidamos as polícias civil e militar para virem falar com a nossa Comissão para apresentar a forma com a qual as polícias funcionam, como se organizam e como elas podem atuar para melhorar a segurança pública nos bairros onde a UFSC está inserida”, complementa a reitora Roselane Neckel.

Policiamento abrangente

Reitora Roselane Neckel e chefe de Gabinete Carlos Vieira durante reunião realizada na segunda-feira com o diretor de Segurança Física e Patrimonial, leandro Oliveira, a capitã de Polícia Militar, Naíma Huk Amarante e o Sargento Álvaro Bernardes. (Foto: Leonardo Reynaldo/DGC/UFSC)

Reitora Roselane Neckel e chefe de Gabinete Carlos Vieira durante reunião realizada na terça-feira com o diretor de Segurança Física e Patrimonial, leandro Oliveira, a capitã de Polícia Militar, Naíma Huk Amarante e o Sargento Álvaro Bernardes. (Foto: Leonardo Reynaldo/DGC/UFSC)

A capitã da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), Naíma Huk Amarante, comandante da 4ª Companhia do 4º Batalhão de Polícia Militar esteve também no Gabinete da Reitoria, juntamente com o Sargento Álvaro Bernardes. A reunião foi nesta quinta-feira, 19, e contou com a presença da reitora Roselane Neckel, do chefe de Gabinete da Reitoria, Carlos Vieira e do diretor de Segurança Segurança Física e Patrimonial, Leandro Oliveira. A 4º Cia. atende a região onde a UFSC está localizada, além de outras áreas, abrangendo, no total, 14 bairros de Florianópolis.

Naíma Amarante explica que uma grande preocupação da reitora e da PMSC é buscar uma atuação abrangente. “Tratamos sobre a segurança não só do campus da UFSC, mas de toda a região atendida pela Companhia. São 14 bairros. Os estudantes passam o dia na Universidade, mas depois retornam para suas casas, que geralmente ficam no entorno. Conversamos que a gente deve estreitar laços para reunir forças para combater a criminalidade. Acho que unindo forças vamos obter êxito. Acredito que foi bastante produtiva a reunião e que vamos ter uma verdadeira evolução na área da segurança pública para os nossos cidadãos”.

O comandante do 4º BPM, tenente coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes deve visitar a UFSC em uma data futura. “O próximo passo é a reitora entrar em contato com o comandante do Batalhão, a nível de Florianópolis, para que a gente estabeleça metas de ações. Temos que prever segurança para todos, não só dentro da UFSC, mas também fora dela”, salienta Naíma Amarante.

Comissão

A Comissão Permanente de Segurança foi formada em novembro de 2014 para dar os encaminhamentos necessários para uma política permanente de segurança na UFSC. É coordenada pelo pró-reitor de Planejamento e Orçamento (Proplan) Antônio Cezar Bornia e formada pelo pró-reitor de Administração (Proad), Antônio Carlos Montezuma Brito; o engenheiro eletricista Irvando Luiz Speranzini, do Departamento de Projetos de Engenharia e Arquitetura (DPAE); a pró-reitora adjunta de Planejamento e Orçamento, Ana Petrassi; o diretor do Departamento de Manutenção Predial e de Infraestrutura, José Fabris; o diretor do Departamento de Segurança Física e Patrimonial (Deseg), Leandro Luiz de Oliveira; a pró-reitora adjunta de Administração, Lúcia Maria Loch Goes; o prefeito Universitário (PU), Nailor Novaes Boianovski; o diretor de Assuntos Estudantis, Sergio Luis Schlatter Junior; o coordenador de Segurança Física, Teles Espíndola; e os representantes do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Gerson Coimbra de Figueiredo Neto e Mateus Stallivieri da Costa.

 

Mayra Cajueiro Warren e Bruna Bertoldi Gonçalves
Jornalistas / Diretoria-Geral de Comunicação
imprensa.gr@contato.ufsc.br

Conheça Rosângela Gomes da Silva, a nova chefe de gabinete adjunta

18/03/2015 18:32

PerfilUFSCpeqUm pouco tímida com a entrevista, Rosângela Gomes da Silva aos poucos vai revelando aspectos de sua vida e a trajetória profissional de 33 anos na UFSC. Desde o dia 16 de março, ela atua como chefe de Gabinete adjunta, em substituição a Luciana Miashiro Lima, que pediu licença-maternidade.

Foto03_perfil_Rosângelaweb

Rosângela Gomes, chefe de gabinete adjunta (Foto: Samantha Sant’Ana – DGC/UFSC)

Nascida em Florianópolis e moradora do bairro Estreito “desde sempre”, a manezinha passou a integrar o quadro de técnicos administrativos em educação (TAEs) da Universidade em 1982. Ela conta que não planejava a carreira pública: “Foi uma oportunidade que surgiu e eu aproveitei”. Trabalhou no Departamento de Engenharia Química por 10 anos. Durante esse período, prestou vestibular e graduou-se em Geografia em 1988. Apesar disso, não se arrepende de nunca ter atuado na área. Preferiu aprofundar seus conhecimentos na área administrativa e fez especialização em moderna gestão empresarial.

Rosângela trabalhou por 23 anos na Pró-reitoria de Pós-Graduação (PROPG), onde desenvolveu diferentes funções, a última como coordenadora administrativa. Ela destaca que uma das coisas mais gratificantes no trabalho é poder auxiliar as pessoas, lidar com o público. Ao sair da PROPG, fez questão de enviar mensagens de despedida aos colegas. “Fiquei surpresa e feliz com o retorno de felicitações e carinho que recebi em cerca de 70 e-mails”. Essa importância que dá às relações é destacada como uma de suas qualidades. Como entrave, precisa driblar o perfeccionismo: “Nem sempre conseguimos fazer tudo que queremos, e, às vezes, fico angustiada com isso”.

Aos 52 anos, Rosângela conta que já possui tempo suficiente para a aposentadoria, mas pretende continuar trabalhando por mais 2 ou 3 anos. Dentre as funções do novo cargo, estão o assessoramento direto à reitora; dirigir, coordenar e fiscalizar os serviços administrativos do Gabinete; auxiliar o relacionamento institucional e administrativo da instituição; e analisar os processos e expedientes dirigidos à reitora. “Estou em fase de adaptação, mas percebo que a dinâmica desse cargo é mais intensa. Estou contente com o convite”.

Questionada sobre o que faz em seu tempo livre, ela diz que, além de viajar e ficar com a família – em especial com os irmãos e o afilhado, que considera como um filho –, gosta de se divertir com os amigos: “Ah, eu adoro bingo. Já ganhei vários prêmios”, conta rindo.

 

Samantha Sant’Ana
Estagiária na Diretoria-Geral de Comunicação
samantha.s@grad.ufsc.br

Conselho Universitário aprova voto paritário para a consulta à comunidade para escolha de reitores

18/03/2015 12:55
Sessão extraordinária do Conselho Universitário durante debate sobre a consulta para a escolha de reitores. (Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC)

Sessão extraordinária do Conselho Universitário durante debate sobre a consulta para a escolha de reitores. (Foto: Henrique Almeida / Agecom / UFSC)

O Conselho Universitário (CUn) da UFSC, em sessão extraordinária nesta terça-feira, 17, aprovou, em votação nominal, por 28 votos a 15, o parecer original do conselheiro Paulo Pinheiro Machado para a próxima consulta para a escolha de reitor(a). O processo, seguindo os parâmetros das últimas consultas, será conduzido pelas entidades representativas das três categorias: estudantes, técnicos-administrativos em Educação e professores.

O parecer coloca como parâmetros para a próxima consulta o voto paritário; colégio eleitoral formado por docentes e técnicos na ativa e em efetivo exercício, além de estudantes da educação básica (a partir dos 16 anos), graduação e pós-graduação stricto sensu. Também indica a formação da Comissão Eleitoral e suas responsabilidades; a realização da consulta em dois turnos se nenhum dos candidatos alcançar 50% + 1 dos votos; o voto secreto, sem procuração e não cumulativo; e como será feita a indexação dos votos; entre outras orientações. O conselheiro Pinheiro Machado acrescentou, ainda, um pedido de arquivamento do relatório do Grupo de Trabalho instituído pelo CUn em dezembro de 2013. O parecer com as últimas edições pode ser acessado pelo link.

Foi sugerido que o primeiro turno da consulta à comunidade para a escolha do(a) próximo(a) reitor(a) ocorra no dia 21 de outubro de 2015, e o segundo turno, caso necessário, dia 11 de novembro de 2015, nos mesmos locais e horários do primeiro turno.
(mais…)

Resposta ao colunista Moacir Pereira – 17/03/2015

17/03/2015 15:19

A respeito das notas “Decisão na UFSC” e “Universalidade”, publicadas no Jornal Diário Catarinense, na coluna do jornalista Moacir Pereira, informamos que foi solicitada a devida retificação pelo jornal, tendo em vista que:

1. Ao contrário do que afirma o jornalista, a reitora Roselane Neckel não fez nenhuma articulação para a implantação do voto universal;

2. O Grupo de Trabalho (GT) autointitulado “GT Democracia” foi nomeado pelo Conselho Universitário (CUn) e criado pela Portaria Nº 2343/2013/GR em dezembro de 2013, com a missão de “construir uma proposta de revisão e atualização das normativas em torno da consulta informal à comunidade universitária para a escolha de reitores”. O professor Paulo Pinheiro Machado não integra esse GT, cujos membros foram indicados em sessão do CUn pelos próprios conselheiros;

3. O relatório final do GT – que pode ser consultado no endereço https://drive.google.com/file/d/0B2gTKhjrMHMrbHEzSVNKUDVFbEE/edit – foi submetido à apreciação do CUn, cabendo ao professor Paulo Pinheiro Machado a relatoria. Seu parecer sobre a matéria foi apresentado ao CUn em dezembro de 2014. Ou seja, ao contrário do que afirma a nota, o referido professor não vai “apresentar o relatório final do GT”, pois sequer o integra;

4. Em seu parecer, o professor Paulo Pinheiro Machado esclarece que “embora reconheça que se trata de um relevante meio de democratização, o voto universal não é defendido por setores expressivos da comunidade. Ao longo de três décadas, nossa instituição construiu um processo que, apesar de limitado e com algumas imperfeições, é um dos mais inclusivos e democráticos em andamento”. Destaca, ainda, que “a democracia na Universidade vem assim sendo praticada como uma opção autônoma, lúcida e honrada da comunidade e dos conselheiros”;

5. Em seu voto, o relator afirma ser favorável à realização de consulta à comunidade universitária para a próxima eleição à Reitoria da UFSC, seguindo, entre outros parâmetros, o voto paritário sobre o universo efetivo de votantes, conforme ocorre na UFSC já há três décadas;

6. Há, inclusive, parecer da Procuradoria Federal junto à UFSC sobre a matéria, conforme  notícia publicada no site da UFSC, em 11 de março de 2015.

Ressaltamos, como pode ser comprovado nos links indicados acima, que as informações detalhadas sobre esse processo estão disponíveis no site da Universidade Federal de Santa Catarina. A ampla publicidade dada ao tema segue o princípio do respeito à transparência que caracteriza a Gestão da UFSC.

 

Florianópolis, 17 de março de 2015.

Diretoria-Geral de Comunicação da UFSC

UFSC firma Protocolo de Intenções com Universidade de Bayreuth, na Alemanha

27/02/2015 11:46

A reitora Roselane Neckel e o reitor da UBT, Stefan Leible, durante a assinatura do Protocolo de Intenções entre as duas universidades. (Foto: Jair Quint / Agecom / UFSC)

A reitora da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Roselane Neckel, e o reitor da Universidade de Bayreuth (UBT), Stefan Leible, assinaram, na última terça-feira, dia 24, um Protocolo de Intenções entre as duas universidades para cooperação internacional. O Acordo de Cooperação está sendo preparado e deverá permitir o desenvolvimento de pesquisas em conjunto, além do intercâmbio de alunos de graduação e pós-graduação. O Acordo também deve prever a co-tutela em programas de pós-graduação.

Além do reitor, a delegação da UBT incluiu a pró-reitora de Assuntos Internacionais, Anna Köhler, o chefe do escritório Internacional, Arnim Heinemann, e seis professores da UBT: Günter Motz, Rhett Kempe, Josef Breu, Volker Altstädt, Daniel Seitz, Heike Emmerich. Em reunião de trabalho na segunda-feira, dia 23, foram acertados os termos do Acordo, com a participação de toda a equipe da instituição estrangeira e da UFSC, por meio da Secretaria de Relações Internacional (Sinter), da Pró-Reitoria de Pesquisa (Propesq) e da Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PROPG). Posteriormente, no dia 24, os pesquisadores da UBT ministraram palestras em um workshop realizado no Centro Tecnológico (CTC) da UFSC, envolvendo também professores da UFSC, dos departamentos de Química, Engenharia Química e de Alimentos, e Engenharia Mecânica.

O secretário de Relações Internacionais, Luiz Carlos Pinheiro Machado destaca que a Universidade de Bayreuth escolheu a UFSC como parceira prioritária na América Latina. “A UBT inclusive solicitou para instalar, na UFSC, um escritório regional virtual, com a presença de ex-alunos.  É uma universidade jovem, que se destaca em excelência acadêmica, colocada entre as 50 melhores do mundo dentre as universidades com menos de 50 anos de fundação”, salienta Pinheiro.

Reunião de trabalho para definição dos termos do Acordo de Cooperação. (Foto: Mayra Cajueiro Warren / DGC / UFSC)

A visita foi articulada pelo professor do Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos (EQA), Dachamir Hotza, um dos pesquisadores da UFSC que desenvolve pesquisas em conjunto com professores da universidade alemã, há pelo menos 5 anos, em especial com o professor Günter Motz. Hotza conta que visitou a universidade, localizada no sul da Alemanha, região da Bavária, juntamente com o professor Aloísio Nelmo Klein, do Departamento de Engenharia Mecânica (EMC). “Fomos muito bem recebidos. A universidade está em uma cidade com tradição cultural e relevância histórica muito grande. O nosso grupo de pesquisadores brasileiros está aumentando ano a ano, inclusive um dos laboratórios de lá já possui site em português. Estamos fazendo um bom trabalho por lá, por isso o interesse da UBT em ampliar a cooperação conosco”, ressalta Hotza.

Dois projetos de pesquisa acontecem atualmente em parceria entre a UFSC e a UBT: um deles é uma pesquisa colaborativa em tecnologia de manufatura, coordenada pelo professor Aloisio Nelmo Klein (EMC); outra é na área de polímeros com propriedades especiais, por meio do programa Ciência sem Fronteiras, bolsa Pesquisador Visitante Especial, coordenada pelo professor Ricardo Antonio Francisco Machado (EQA).

Mayra Cajueiro Warren
Jornalista / Diretoria-Geral de Comunicação
imprensa.gr@contato.ufsc.br